Teixeira, Pinto & Soares tem obra feita (Jornal de Negócios)

5 de Novembro, 2021

Notícia por Jornal de Negócios.

Fundada em abril de 1997, a Teixeira, Pinto & Soares, SA (TPS, SA) começou a atividade como uma pequena empresa de cariz familiar e de âmbito regional. Atualmente, esta empresa de sucesso, com experiência e competência para executar grandes empreitadas de construção civil, mantém o cariz familiar, mas com uma gestão profissionalizada e com implantação nacional. A prova está nos projetos que está a executar neste momento na Área Metropolitana do Porto e Lisboa, zona Centro e Alentejo, sendo que em breve a TPS, SA estará a laborar na região do Algarve.

Destes projetos (ver texto ao lado), destaque para a construção do edifício que vai albergar o Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento – MIA de Portugal, na Universidade de Coimbra, numa obra cujo valor ultrapassa os 19 milhões de euros. E para a reabilitação e construção da Gare do Arco Cego, onde vai ser criado o Técnico Learning Center, do Instituto Superior Técnico. Uma obra de quase dez milhões de euros, o que quer dizer que o valor destas duas empreitadas é de sensivelmente 30 milhões de euros.

Ato contínuo, a TPS, SA assinou protocolos de estágio e cooperação com a Universidade de Coimbra e com o Instituto Superior Técnico. Fê-lo porque entende que tem de estar sempre de mãos dadas com o futuro e, para isso, há que caminhar com as instituições nacionais de ensino superior, reconhecidas internacionalmente. Com a assinatura destes protocolos, a organização pretende proporcionar estágios profissionais a jovens licenciados, bem como aproveitar o know-how destas instituições para desenvolver novas abordagens a métodos de trabalho ou novos produtos para a construção.

A receita do êxito e o olhar para futuro

Explique-se que a base do sucesso da TPS, SA está numa gestão rigorosa, alicerçada em meios humanos capazes de responder eficazmente a todos os desafios do setor. E na manutenção do foco numa cultura de excelência, recetiva a novas metodologias de trabalho, melhorando individual e coletivamente o desempenho, de modo a corresponder, na plenitude, aos anseios dos seus clientes.

Para continuar a ter sucesso no futuro existem desafios a ultrapassar. Os responsáveis da TPS, SA encaram o futuro com otimismo, pois sempre foi a visão que tiveram e lhes permitiu chegar até onde estão hoje, com um crescimento consolidado e bom relacionamento institucional com os vários parceiros.

Não obstante, na empresa existe a noção de que é necessário um desempenho de excelência contínuo, pelo que a formação profissional terá de ser uma constante, assim como a capacidade de absorver e aplicar novas metodologias na construção, conseguir formar (desde a base) jovens trabalhadores, recrutar quadros médios nas escolas de formação profissional e adaptá-los à realidade.

Há ainda que captar novos investidores particulares, nacionais ou estrangeiros, mantendo também a quota de mercado que a TPS, SA tem atualmente nas obras públicas.

Quanto aos desafios do setor da construção e reabilitação dos governos europeus, estes passam pela implantação de uma estratégia de recuperação económica. Com a subida abrupta, inesperada e generalizada dos preços da energia, das matérias-primas e consequentemente dos materiais de construção e a falta de mão de obra, novos desafios surgem. Na Estratégia Europeia de Recuperação e Resiliência, o setor é contemplado com verbas significativas, pelo que será possível dinamizar a economia e gerar emprego.

Assim, alertam os responsáveis da TPS, SA, em Portugal será importante que a execução do PRR decorra de forma efetiva, a utilização de revisão de preços adequados aos contratos das obras públicas e a definição de preços base realistas nas novas obras a lançar pelas entidades públicas.

Com um diálogo permanente entre empresas, associações do setor, ordens profissionais, instituições de ensino superior e escolas profissionais, será possível, mais uma vez, o setor responder positivamente a um desígnio nacional, muito necessário nesta altura para o país e para a Europa, que é o crescimento económico.

Obras emblemáticas da TPS, SA

. Museu Ibérico de Abrantes (arquiteto Carrilho da Graça)

. Convento de Jesus, Setúbal (arquiteto Carrilho da Graça)

. Teatro Luís de Camões, Lisboa. Obra ganhou o prémio de Reabilitação Urbana 2019 (arquitetos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira)

. Termas Romanas de São Pedro do Sul. Obra ganhou o prémio de Reabilitação Urbana 2021 (arquiteto João Mendes Ribeiro)

. Palácio de Cedofeita, Porto (arquiteto Duarte Morais Soares)

Grandes empreitadas

A Teixeira, Pinto & Soares, SA tem neste momento 23 projetos em andamento em Portugal. Destes, destacamos cinco grandes obras. A saber:

19.462.934 M€
Construção do Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento – MIA de Portugal, na Universidade de Coimbra

12.748.529 M€
Reabilitação da Escola Artística de Música e Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa
9.974.756 M€
Reconversão da Gare do Arco Cego, onde vai ser criado o Técnico Learning Center, do Instituto Superior Técnico, em Lisboa

8.639.999 M€
Conclusão das obras de modernização da Escola João de Barros, no Seixal

5.943.347 M€
Programa de Reconversão de Edifícios da Segurança Social – Avenida dos Estados Unidos da América – Lote 1 e 2, habitação coletiva, em Lisboa

PARTILHAR ESTA NOTÍCIA

voltar

Arquivo

Artigos Relacionados